Nesta manhã, Brasilia amanheceu tomada de manifestantes em protesto contra o Supremo Tribunal Federal.

O objetivo final era o recado da nação da insuportabilidade dos desmandos da esfera máxima do judiciario brasileiro ou seja, o Supremo Tribunal Federal

 

 

 

O imagem forte nos traz à lembrança fatos inéditos da nossa história mas é dessa forma que com certeza as pessoas estão se referindo ao ato hoje em Brasília, no qual o Presidente da República somado a milhares de brasileiros assume a cela de um cavalo e protegido tropeia acenando a multidão.

Pedro I estava a caminho de uma missão quando uma carta o forçou a mudar os rumos do chamado Brasil.

A pergunta que fica é o que faltou ao ato do presidente a cavalo e a proclamação da Independência do Brasil esta no fato positivo para muitos que essa independência esta chegando. Assim, para quem entende “dois pingos é letra”. Logo, acredita-se que com certeza ou por muita coincidência alguma mensagem desta feita foi enviada a olhos atentos e preocupados entre vinhos e camarões importados.

Há quem diga que se fosse outros necessários seria que fossem charretes, mais a verdade é que hoje o presidente suplantou todas as expectativas e decididamente virou o centro das atenções como tem sido visto nos últimos dias situações inéditas a revelia do estado.

Sem máscaras o presidente demonstra decididamente que não tem medo e em uma linguagem discreta mostra que o povo não deve ter medo e isto é a temática de suas ações publicas e constitucionais.

Ele enfrenta um sistema corrompido e que não aceita mudanças então ele vem e faz a mudança e todos estão vendo que a mudança e boa e essa mudança é que preocupa os segmentos da velha e ortodoxa velha republica que sempre acredita que todos sem distinção tem preço e que são vendáveis. Na concepção deles resta saber apenas o tempo que ele irá resistir, porém essa demora já preocupa alguns segmentos.

Brasília hoje representou o Brasil que já esta a muito tomado pelo verde e amarelo e a única tristeza desse ato era o objetivo ou seja, a demonstração da insatisfação da população com o Supremo Tribunal Federal em face do seu embate justamente com o escolhido da nação democraticamente.

Seria ótimo se fosse para comemorar algum fato inédito aos olhos do povo mais infelizmente estes ali estavam pedindo socorro ao único que se presta a ouvi-los e de estar junto a eles.

O clima de paz em Brasília esta consoante com o fato das atitudes do presidente de atenção ao povo e o seu interesse em estar sempre perto mostrando seu carinho pelo seu bem estar.

Em contrapartida, os demais poderes a todo custo implementam medidas que para o povo são impopulares e só provocam cada vez mais a animosidade política entre essas partes.

Este editorial sempre defendeu a necessidade de todos os poderes serem constituídos e eleitos pelo voto popular mais a insistência de outorgar poderes a homens de forma permanente tem levado o pais a esse estado de por terem mandato perpetuo quererem governar em paralelo ao eleito como se dissessem: Você só fica 4 ou no máximo 8 anos, já nós ficamos o tempo que quisermos, portanto se quiser governar faça o que eu digo e não faça o que eu faço. Lembre-se de que não fomos eleitos mais empossados por vocês mesmo.

Não estão errados exceto que no desempenho desta função e pela forma que são designados, excedem no uso e fruto de seus direitos acrescentando a eles direito sobre direitos enquanto a nação que os sustenta morre à míngua.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esta competência está na mudança do congresso pois que os que lá estão tem medo de muda-los e serem pegos pelas lava jatos da vida entre outros processos os quais os protegem pela imunidade a que desfrutam tendo a responsabilidade apenas de manterem-se dentro das colunas palacianas do congresso, longe do clamor popular e das cobranças exceto quando saem dessa fortaleça.

Um Congresso bem guardado e protegido por policias especiais que a tudo controlam e dominam. Talvez se por ventura o voto falhar, restará aqueles que não são alcançados pelo voto e que detém o poder de os prender ou soltar. Foi assim com Lula e com toda a sorte de condenados que estão sob as suas graças.

Até lá, a sociedade vive debaixo da ira e insatisfação de governadores e seus policiais registrando vários casos de violência policial que segundo os manifestantes deveria ser pacifica.

Soma-se os cães de asfalto, grupos disfarçados com objetivo de provocar e incentivar a violência quebrando um ato pacifico e provocando caos e desordem como ocorrido em São Paulo, tornando o clima já acirrado entre o governo de Dória e a sociedade paulista que esta como no Rio em um estado de insuportabilidade por maioria que condena os atos de violência e meios empregados para conter o que o povo apenas deseja que é a sua liberdade e seu estado de direito democrático.

Com certeza, esse ato será mais um classificado pelo Ministro Barroso como “ASSUSTADOR”, pois fica claro que o espirito de animosidade existente hoje entre o poder jurídico supremo e a sociedade já está indo além do suportável e estes não querem mais aceitar o açoite a vara da justiça de forma inconstitucional.

Pelo andar da carruagem dentro do estigma mostrado acredito que em breve realmente teremos personalidades sob o peso da vara mais desta feita da justiça vendada e não da atual que sem as vendas olha a quem julga e como julga insistindo em prosseguir em atos vergonhosos a própria justiça.

Isto sim, é assustador!

FONTE: Foto Agencia Brasil

31/05/2020 - 20h19

Editorial: Revista Bancada News