A SUA REVISTA POLÍTICA

NEWS

AS ELEIÇÕES FRUSTAM O BRASIL

SEGMENTOS DE DIVERSAS CATEGORIAS ENTRE ELES OS GRADUADOS MILITARES VIRAM ESTUPEFADOS A INTERVENÇÃO SOFRIDA QUE TROUXE INUMEROS PREJUÍZOS AOS POSTULANTES A  CARGOS MUNICIPAIS

whatsappblack.png
  • Facebook
  • Twitter

Em uma eleição cheia de mistérios, o Brasil viu com surpresa o mesmo efeito eleitoral que aconteceu nas eleições presidenciais nos EUA.

As provas não deixam duvidas de que algo sério aconteceu no black out no sistema de divulgacao da rede do TRE.

Segundo o Presidente do TRE, houve uma invasão de hackers no sistema de apuração, porém sem risco para a segurança na apuração dos votos.

No entanto, o resultado final mostrou o contrário. Varios resultados haviam sido adulterados prejudicando os milhares de candidatos em todo o Brasil.

Diversos estados como o Pará, Rio de Janeiro e São Paulo são testemunhas de varias situações que ferem a credibilidade das urnas eletronicas e da atuação de fiscalização do TRE nas apurações.

 

O resultado dessas eleições configura um fato nunca visto na historia do Brasil, influênciando com seu resultado a politica Municipal em varios estados e quiçá, pondo em risco as eleições gerais de 2022, onde vários segmentos que determinam as normas de vigencia social via executivo e legislativo estarao tomando os rumos do país como presidencia, governadores, deputados (estaduais e federais) e senadores.

Nutraceuticos LPZ.jpg

A situação eleitoral toma proporções agravantes em face das eleições de 2022, pois deputados ja esboçam preocupação coma possibilidade de fato semelhante ocorrer em 2022.

A credibilidade do Supremo esta muito fragilizada com fatos decorrentes em que ao final candidatos de esquerda foram beneficiados e as lideranças de certos partidos já admitiam saber do futuro eleitoral no qual não elegeriam ninguem como em um jogo de cartas marcadas. A verdade é que estas eleições são o espelho de 2022.

TOCANTINS ACESSA A POLICIA FEDERAL 

PELO CANCELAMENTO DAS ELEIÇÕES POR

IRREGULARIDADES E FALTA DE TRANSPARÊNCIA

SAIA JUSTA

A verdade é que o Ministro Barroso encontra-se em uma saia justa. Se admitir que houve erros teria que anular as eleiçoes e convocar uma nova eleição com novo periodo eleitoral.  Se admite que não houve erros terá que explicar porque existe resultados diferentes como o caso de tocantins em que uma candidata que estava com 1100 votos no retorno do boletim estava com 54 votos. Nesta questão entre explicar o inexplicavel e negar a realidade o ministro prefere ficar calado assim como todo o STF

O fato inusitado, deixa tanto candidatos quanto sociedade sem saber qual tipo de ação tomar ou seja cobranças de atitudes em face das diversas irregularidades comprovadas de erros grotescos com possivel fraude no sistema.

O Ministro Barroso, Presidente do TSE, que a poucas semanas esteve nos EUA, como observador das eleições americanas, e no seu retorno afirmou que as urnas brasileiras eram confiaveis.

A pane no sistema provocou black out nas divulgações que ficaram paradas horas com o Brasil inteiro acompanhando e sem entender nada.

Ao final, após o retorno do sistema, diversos candidatos contestaram o resultado oficial da TRE, sob alegação de fraude em todo o pais.

CANDIDATOS EM TODO O BRASIL ARTICULAM-SE DE FORMA A FAZEREM DENÚNCIAS NA POLICIA FEDERAL E MANIFESTAÇÃO PUBLICA, A EXEMPLO DO TOCANTINS CONFORME VIDEO ACIMA DENUNCIANDO AS IREGULARIDADES E PEDINDO FIM DAS URNAS ELETRÔNICAS VOTO IMPRESSO EM DUAS VIAS E NOVAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS.

Os mais radicais pedem o fim da Presidência de Ministros do STF e a assunção de uma junta de juristas independente ou militar com maior transparencia.

GRADUADOS SÃO PREJUDICADOS

Os graduados das FFAA, estão entre os mais prejudicados nesta apuração. 

Segundo lideranças, o resultado oficial contraria as afirmações da tropa que envidou esforços em prol da categoria afirmando que votaram maciço nos graduados.

Canditados que nas penultimas eleições tinham obtido mais de 15 000 mil votos, foram surpreendidos com apenas 1 400 votos.

Mesmo com toda a classe militar que no Rio soma milhares de militares da ativa, reserva e reformados, nenhum candidato se elegeu.

O Sub oficial BONIFACIO e o Sargento QESM Bispo Paulo Santos eram dois cotados a ocuparem cadeira na Camara do Rio.

Os 2 militares tinham vários projetos a desenvolverem em favor da classe militar entre outros de cunho social.

Segundo Paulo Santos existe uma perseguição a tropa de forma a impedir que os graduados tenham representação e voz ativa no Congresso Nacional. Não duvido que acha patrulhamento nas redes sociais em face do crescimento do nosso trabalho. Além de tentarem nos impedir como o caso do Bonifacio que teve sua candidatura prejudicada pelo comando onde serve prejudicando parte do seu trabalho, em todo tempo os graduados sao prejudicados com tentativa de impedimento de acesso das associações em Brasilia e agora do Sindicato dos Militares que o Ministerio da Defesa entre outros procuram não reconhecer, embora seja registrada e com reconhecimento internacional.