GENERAIS USAM REVISTA MILITAR

Têm sido observado que algumas revistas militares vem apoiando os generais do Planalto

visando isolar o Sindicato Militar recém criado em favor dos militares

Segundo a revista, a criação do Sindicato seria inconstitucional corroborando com a fala dos generais de que eles são a unica voz dos graduados que devem ser ouvida.

  • whatsappblack
  • Facebook
  • Twitter

Conforme noticiado em materia anterior em Primeiríssima mão

militares graduados com formação juridica uniram-se e formaram

o primeiro Sindicato Militar das FFAA com apoio internacional

  • whatsappblack
  • Facebook
  • Twitter

PRESSÃO NA TOCA DOS CÃES

 

A Revista Bancada News, publicou em materia recente e em primeira mão a criação do SIND MIL - Sindicato dos Militares Veteranos das FFAA.

Na ocasião, foi enfatizado a importancia da criação do SIND MIL em face das dificuldades dos militares serem ouvidos e de poderem pleitear direitos que lhe estão sendo retirados e prescritos na Constituição Federal como a isonomia entre os pares e que foi derrubado pela PL 1645/2019 e a Lei 13.954, que atingiu em cheio veteranos e pensionistas das FFAA.

O que vem mexendo ainda mais com alguns segmentos da tropa é o apoio indireto de alguns informes midiáticos que sem justo motivo vem dando embate, apoiando os generais e corroborando com os mesmos na ideologia de que os militares não podem por força constitucional criarem sindicatos.

Da mesma forma, esta prescrito na Constituição pautas referentes a Associações e hoje no entanto existem varias, inclusive apoiadas pela propria revista.

A primeiro ponto ficam alguns graduados sem entender ate onde o periódico pretende chegar nesse apoio aos militares oficiais.

O VALOR DO SIND MIL ESTA NA PRÓPRIA CONSTITUIÇÃO.

 

A Revista Bancada News, quando publicou a materia sobre a criação do SIND MIL enfatizou o parecer constitucional a respeito dos militares.

 

 

 

Em sua reportagem sobre a criação do SIND MIL, a BN mostraque em pesquisa realizada por sua equipe que nada há que conste na Constituição que fale ou proiba os veteranos militares de criarem ou de se agremiarem a associações e sindicatos.

Da mesma forma, torna-se impossivel que coordenem atos de comando de greve, uma vez que, veteranos não exercem nenhuma atividade militar e estão por força de lei constitucional impossibilitados de exercerem por estarem afastados de suas obrigações militares de forma "definitiva", ou seja, sem condicoes de retorno a quarteis na ativa e com ordens de mando a qualquer subordinado, exceto o respeito devido as graduações em face da hierarquia e disciplina .

 

A CF é  clara e objetiva. Logo, nenhum impedimento juridico pode haver até porque as obrigações militares como instituição alcançam os militares da ativa e da reserva nada referendando aos militares reformados.

AS RAZOES DA CRIAÇÃO DO SIND MIL

 

As razões que motivaram a criação do SIND MIL, dá-se justamente pelo fato de a categoria de veteranos não ter o direito a voz de apresentar seus questionamentos e a defesa dos seus direitos.

A tramitação da PL 1645/2019, foi uma verdadeira humilhação por parte do Congresso Nacional e principalmente dos generais, que impediram e criaram um bloqueio aos militares quando tentavam ser recebidos pelos deputados no Congresso Nacional.

Homens e mulheres imbuidos na defesa de veteranos, reservistas e pensionistas viram portas de gabinetes serem fechadas e sua voz calada ou melhor dizendo amordaçadas. Nada e nem ninguém fez algo em favor dos graduados, que foram levados como ovelhas ao matadouro.

As promessas feitas a senadores e deputados pelo governo de que os graduados seriam recebidos e as injustiças reparadas nunca foram cumpridas.

Ao contrário, generais conseguiram dividir a tropa e assim enfraquecer a resistencia com uma lei injusta que só beneficia o estamento maior, hoje com altissimos salarios enquanto a tropa aguarda o cumprimento de promessas que nunca se cumprem...